Turismo em Viena

Viajei para Viena no mês de maio (2016) para passar 3 dias, um final de semana prolongado. Chegamos na sexta-feira de manhã no aeroporto de Viena (o aeroporto de Viena se chama Schwecat Flughafen, importante lembrar da palavra Flughfen em alemão que significa aeroporto para se localizar nos mapas de metro e trem) e não tínhamos a menor ideia de como ir para nosso hotel. Como estávamos num hotel super bem localizado (Le Meridien de Viena), perto da Opera de Viena, sabia que não seria difícil chegar.

Existem duas maneiras simples de ir do aeroporto de Viena até o centro da cidade

Em direção a saída do aeroporto tem vários terminais de venda de passagem de trem para cidade : o CAT. Não recomendo pegar esse, pois custa 12€ o trajeto, mas é mais rápido (dura 15 minutos). Se você andar mais um pouco vai ver um guichet do transporte público , o S-Bahn, que demora um pouco mais (de 25 a 30  minutos), mas custa apenas 4,40€. O transporte é bem rápido e deixa você dentro da cidade, no mesmo lugar que o transporte do CAT.

Outra vantagem de usar o transporte publico é que com esse bilhete você pode fazer correspondência com alguma linha de metro, sem precisar pegar uma nova passagem. Existe também a possibilidade de pegar táxi, mas parece que custa uns 40€. Não posso afirmar pois usei  o bom transporte público e fiquei bem satisfeita.

Obs : Não existe catraca no transporte público, mas não esqueça de validar o bilhete, pois se houver fiscalização você pode pagar até 100€ de multa.

Outra maneira de usar o transporte público de Viena sem preocupação com os bilhetes de transporte é comprar um pass Viena. Eu não testei pois eu gosto de caminhar bastante a pé quando viajo, mas acho que para quem se cansa mais rápido é uma ótima opção. O passe de Viena custa 21,90€ e pode ser usado de maneira ilimitada durante 72 horas. Além do transporte publico ilimitado, esse cartão da vários descontos em pontos turísticos de Viena.



Booking.com

O que fazer em Viena

Chegando na parte legal da viagem, depois de deixar as malas no ótimo Meridien de Viena (que eu recomendo para todo mundo que vai visitar Viena), fomos fazer nossa primeira visita. Como nosso quarto ainda não estava liberado, fomos dar uma volta perto do hotel e encontramos logo em seguida o Museumquartier. O Museumquartier logo de cara dá para saber que é o bairro dos museus, tem vários museus concentrados. Visitamos o primeiro que achamos a fachada legal, o museu de arte moderna (Mumok). Tivemos o azar de pegar uma expo bem trash, além de ter custado meio caro, 11 euros a entrada.

Mumok Viena

Mumok de Viena

Terminamos a visita e logo fomos para o hotel descansar um pouco. O Meridien foi um parênteses a parte. Recomendo demais, além de ser muito bem localizado, ter quartos ótimos, tem piscina, sauna, hidromassagem e sala de esporte.

Aproveitamos o resto do dia para conhecer a cidade a pé, e por acaso encontramos uma exposição de Ron Mueck em meio a um parque (Volksgarten). Era uma escultura extremamente realista, de um homem nu em um barco. Poderia representar o nascimento ou a morte, ou ambos.

Exposição Ron Mueck

Exposição Ron Mueck

Fomos tomar um café no Café Central, que é um ponto turístico de Viena por ser um autêntico café e por ter sido frequentado por diversas personalidades como Sigmund Freud, Lénine, Léon Trotski, entre outros.

Café Central Turismo em Viena

Café Central de Viena

 

De noite aproveitamos para ver a abertura de um festival de musica clássica, que aconteceu na frente do Hotel de Ville. O único problema foi a chuva, mas a prefeitura distribuiu capas de chuva gratuitas para todos os presentes.

 

No segundo dia tínhamos nos proposto a fazer visitas nos pontos turísticos de Viena. Começamos então por Hofsburg, que é composto pelos Apartamentos Imperiais, pelo Museu Sisi e pela Coleção de Prata Imperial. Vale a pena pegar o audio guia que, senão me engano está incluso no valor da visita. Para mim em Hofsburg o mais interessante foi conhecer a historia da Sisi, no seu museu.

Museu da Sissi em Viena

Museu da Sisi

De tarde fomos conhecer o Museu do Freud, que é a sua antiga casa e consultório. Foi nesse consultório em que clinicou durante quase toda a sua vida, tendo apenas partido para o exterior nos últimos anos de sua vida, em consequência da Segunda Guerra Mundial (Freud era judeu).

A visita custa 10€ e, além do acesso ao museu, audio-guias estão disponíveis em diversas línguas, o que facilita a compreensão da visita. O Museu de Freud pode ser visitado em mais ou menos 1h.

Museu de Freud em Viena

Museu de Freud em Viena

A noite visitamos o parque de diversões de Viena, conhecido pela sua roda-gigante e por ter sido cenário de alguns filmes, como Antes do Amanhecer. Além de termos andado na roda gigante, fomos em alguns outros brinquedos como no tiro ao arco e na casa dos espelhos.

Roda Gigante Turismo em Viena

Roda Gigante de Viena

Estando na roda gigante é possível ter uma vista linda da cidade. Fomos durante a noite, então com as iluminações da cidade e do parque tivemos uma vista belíssima.

turismo em viena

Vista da roda gigante de Viena

No nosso terceiro e último dia (dessa vez, mas queremos voltar) em Viena começou com uma visita ao castelo de Schonbrunn. O castelo de Schonbrunn  foi construído em 1713 e é um dos principais monumentos e pontos turísticos de Viena. Ele foi a residência imperial de verão, sendo Hofsburg a residência de inverno.

O palácio foi residência de verão da família imperial austríaca desde meados de 1700 até ao final da Segunda Guerra Mundial. O palácio foi habitado por centenas de pessoas da corte, tornando-se um centro cultural e político do império Habsburgo. Inclusive, no palácio de Schonbrunn viveu até 1817, data de seu casamento com o futuro imperador brasileiro Pedro I, a arquiduquesa D. Leopoldina de Habsburgo.

Palácio de Schonbrunn Viena Austria

Palácio de Schonbrunn

Além do palácio em si, a visita vale também pelo passeio nos jardins. Dizem que Schonbrunn é Versalhes da Áustria, e é verdade que Schobrunn e seus jardins tem beleza comparável ao de Versalhes.

Turismo em Viena

Jardins de Schonbrunn

 

Após a visita do Schonbrunn ficamos dando voltas na cidade, até que finalmente decidimos visitar o Museu Albertina que nos chamou a atenção com essa bela escadaria.

Museu Albertina Viena

Entrada do Museu Albertina

O museu Albertina possui uma das maiores coleções de artes gráficas do mundo. São mais de 50 mil desenhos e um milhão de gravuras. Entre as suas obras destacam-se peças de Rembrandt, Rubens, Delacroix, Manet, Cézanne, Klimt, Warhol, Rauschenberg e Baselitz.

Além disso, o museu Albertina é vizinho da Opera de Viena. Se não tiver tempo para visitar o museu Albertina, suba pelas escada rolante para ter a vista da Opera de Viena como na foto abaixo.

Opera de Viena

Opera de Viena

 

Pontos turísticos de Viena

Durante meus 3 dias em Viena pude visitar vários pontos turísticos mas o tempo foi curto para visitar todos. Então segue uma lista dos pontos turísticos de Viena para quem tiver mais tempo:

– Hofsburg e Museu de Sisi

– Palácio de Schobrunn

– Ópera de Viena

– Museu Albertina

– Museu de Freud

– Parque de Diversões

– Volksgarten (parque)

– Rathaus (prefeitura)

– Parlamento

 

Likes(0)Dislikes(0)

Author: Morar em Paris

Share This Post On
468 ad

Submit a Comment

Votre adresse de messagerie ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *

Vous pouvez utiliser ces balises et attributs HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>